2.11.12

offline (por tempo indeterminado)



Há alturas que só me apetece mandar tudo "à fava", a vida, o mundo, as pessoas...
desde pequena que estou habituada a ver os meus sonhos se desvanecerem, os planos a saírem gorados e os caminhos ou saídas supostamente "mais fáceis" serem-me vedados.
Não o lamento, acredito que tudo isso me tenha tornado grande parte como e o que sou actualmente, enfrentei cada revés com coragem e confiança que no fim tudo seria pelo melhor, que cada coisa menos boa originaria algum tipo de recompensa no futuro (quando "fosse grande", quando o curso acabasse, quando, quando, quando)...
mas quando esse futuro por fim chega, apenas trás mais obstáculos, problemas e decepções e ultimamente (com uma maior frequência do que gostaria/desejaria), não encontro em mim as forças e o sorriso necessários que me permitam erguer a cabeça e dizer sem margem de dúvida "vamos lá, por muito que custe, eu sou mais forte".
Há alturas que só me apetece dormir e dormir, fugir do mundo tão cinzento lá fora, ficar bem quietinha no meu canto e esperar que a vida me esqueça se nada de bom tiver para me oferecer...
A quem me lê, estranha e se preocupa com esta minha ausência (não só por aqui, mas também nos seus cantinhos), só posso agradecer pela preocupação e carinho que me demonstram e  dizer: não, não está tudo bem, mas por aqui  isso quase que já se tornou rotineiro e mesmo que nos últimos tempos os dias maus superem os bons eu prometo voltar...quando esta fase menos boa acalmar....assim e até lá ficará este cantinho e a sua dona temporariamente "offline".

"Strength: a river cuts a rock, not because of it's power, but because it's persistente"
(desconheço a autoria)

p.s.   desconheço a autoria  da imagem

12.10.12

...








...alturas há que me canso desta luta constante contra a maré, apetece-se  simplesmente baixar os braços e render-me, deixar que as ondas me enrolem cada vez para mais fundo, deixar-me entorpecer até mais nada sentir.
...alturas há  em que me manter à tona, quando a tempestade se faz sentir tão violentamente, apenas o  suficiente até que esta acalme, me parece simplesmente impossível.
...sou sonhadora incansável e uma teimosa inveterada que se recusa a acreditar que a vida seja apenas um conjunto de meras casualidades, sem qualquer nexo ou justeza  e que esta, a ninguém "recompense" pelo bem que pratique ou pelo ser humano que é.
...mas alturas há que perante tantas e constantes rasteiras que a vida me prega, as costas vergam, a cabeça tomba e seguir em frente parece ser completamente insignificante...


(...faltam uns braços  que me abracem , um colo onde me enroscar
um  beijo de conforto na testa, uma mão que me  seque as lágrimas,
uma  das minhas  pessoas aqui, bem juntinho a mim...
mas amanhã , talvez quem sabe, a tempestade amena e o sol brilhe,
mesmo que apenas timidamente
e  eu  seja capaz de sorrir de novo)


*imagem encontrada em :

26.8.12

Era basicamente apenas isto...


Se é verdade que as pessoas me conquistam nas pequenas coisas ainda o é mais, que algumas me perdem nos pormenores mais ínfimos (mas que nem por isso perdem a sua importância).
Sou apegada a momentos e pessoas por "defeito" e faço "luto" pela amizade (ou falta dela)  de todas e cada uma das pessoas que na minha vida, comigo se cruzaram mas nela não permanecem...
Contudo hoje, olhando em retrospectiva percebo o quão melhor estou sem elas...


20.7.12

Feliz dia da Amizade!

Quando este blog foi criado tinha como único propósito o de ser um refúgio para mim, onde eu pudesse dar rédea solta aos meus devaneios amorosos e desabafar todo o que me fosse na alma com tamanha sinceridade e crueza que de outra forma não era possível...assim e bem devagarinho fui entrando neste mundo da blogosfera e conhecendo outros "cantinhos" que tinham, na sua essência, mais ou menos o mesmo objectivo, um comentário aqui e outro ali, fui ganhando um verdadeiro carinho pelas pessoas por detrás desses mesmos cantinhos e que por mais ausente ou presente que eu esteja por este mundo têm sempre uma palavra amiga para me brindarem.
Desta forma, apesar das  palavras continuarem a ser parcas por estes lados (e eu ser defensora de demonstrações de afecto em pequenos gestos diários), rendo-me ao cliché e aproveitando este dia em que a amizade deverá ser celebrada para agradecer (uma vez mais) a todos vós, por estarem desse lado a comentar as parvoíces que por aqui se publicam ou a partilharem um pouquinho de vocês ( e que por vezes tanto de mim reflecte).
Feliz dia internacional da Amizade!


Amizades são inexplicáveis e não devem ser explicadas, se não se deseja destruí-las.
- Max Jacob -




15.7.12

...



Porque há dias em o barulho da minha mente é ensurdecedor, em que perder-me pelas minhas memórias me parece mais apelativo do que simplesmente continuar em frente (sempre em frente), porque há dias em que me sinto verdadeiramente sozinha e sinto falta da "palermice" que o "gostar de alguém" deixa em mim...é este género de banda sonora (calma e deprimente) que, no silêncio e no escuro do meu mundo me embala o sono (ou a falta dele).




12.7.12

(...)


....e quando eu finalmente baixo os braços e murmuro baixinho "desisto, não dá mais", eis que tu tomas uma atitude e me relembras porque é que mesmo silenciosamente ausente serás sempre presença constante e latente na minha vida!


"Sabe o que eu quero de verdade?! Jamais perder a sensibilidade, mesmo que às vezes ela arranhe um pouco a alma. Porque sem ela não poderia sentir a mim mesma..."
-Clarice Lispector-


30.6.12

As amantes do verão: uma palavra que defina o verão...e este desafio:

bom! Bom, quer o verão, quer o  desafio porque me deu a oportunidade de conhecer outros blog's e outras opiniões sobre um tema comum, bom porque me fez pensar e perceber coisas que se calhar nunca teriam passado sequer pela cabeça de outra forma...

Do meu silêncio, da minha ausência...

Peço desculpa pelo silêncio neste cantinho e pela ausência nos vossos mas a verdade é que...aquilo que posso escrever/partilhar não vale a pena e o que realmente quero/preciso escrever/partilhar perde-se algures no caminho entre o coração, a razão e os dedos!
Falta-me tempo, falta-me vontade de me perder pela blogosfera, refugiu-me em livros, séries e no sono, esgotando todas as horas e tentando anestesiar esta incerteza e confusão que me define ultimamente.

23.6.12

As amantes do verão: um som de verão

...os sons das noites de festa aqui na terrinha, desde das marchas de S.João à música "pimba" da festa de Agosto.

20.6.12

As amantes do verão: as minhas leituras de verão



Uns oferecidos nos anos, outros gentilmente emprestados pelos amigos, eis os livros que já li (coluna da direita) ou ainda pretendo ler neste verão (coluna da esquerda) nomeadamente:
*"Lições de Desejo" (Madeline Hunter);
*Aquilo em que eu acredito (Helena Sacadura Cabral);
* "As Crónicas de Gelo e Fogo livro: 1, 2, 3 e 4" (George R. R. Martin);
*"Dei-te o melhor de mim" (Nicholas Sparks);
*"O Lago dos Sonhos" (Kim Edwards);
*"Para sempre, meu amor" (Cathy Kelly);
O verão é (como já anteriormente referi) a época por excelência das minhas leituras, sendo a Biblioteca Municipal a minha "melhor amiga" nesta época....assim sendo estou sempre disposta a ouvir sugestões de leitura!

"Livros são os mais silenciosos e constantes amigos; os mais acessíveis e sábios conselheiros; e os mais pacientes professores."
- Charles W. Elliot -


As amantes do verão: um dia no campo no verão



...é ter oportunidade de ver uma paisagem semelhante a esta todos os dias; poder estender uma manta na relva e desfrutar de uma belo piquenique improvisado ou pôr a leitura em dia à sombra de uma árvore..

19.6.12

As amantes do verão: os amores de verão...



Nunca fui menina de ter amores de verão...contudo recordo-me vagamente de um, quando tinha por volta dos meus 6/7 anos e que teve direito a sussurros ao ouvido, beijinhos na ponta do boca, mãos dadas, muitos sorrisos e a doce inocência da infância...

"O amor não se define; sente-se."
-Sêneca-



17.6.12

As amantes do verão: as melhores férias de verão


Sanxenxo, 2009: as minhas primeiras férias "a sério",
 a primeira vez que
*acampei,
* fiz praia ou passei férias com os amigos,
*apanhei um escaldão,
*andei de "barco",
*estive na àgua em pleno alto-mar ou comi um crepe,
*...
Eis as férias que guardo com mais carinho (talvez exactamente por terem sido as primeiras!).


Devido ao "repouso" forçado que o meu PC foi alvo não tenho de momento nenhuma foto da minha autoria, assim uso esta, retirada daqui (onde poderão ler mais sobre esta zona).

16.6.12

As amantes do verão: o meu bikini de verão


Cor-de-rosa, dos três que tenho apenas um não é!


Tempo procura-se*

"I still find each day too short for all the thoughts I want to think, all the walks I want to take, all the books I want to read, and all the friends I want to see."
- John Burroughs -


*quanto mais tempo "disponível" tenho mais ele parece fugir-me por entre os dedos e nunca chegar para todo o que quero/preciso fazer (peço desculpa pela ausência, mas volto em breve, depois de ter aproveitado ao máximo estes dias em família)

As amantes do verão: a minha toalha de praia:


...é deste género, com vários peixes e já a precisar da reforma, mas eu adoro-a...


14.6.12

As amantes do verão: a praia do meu verão


Nos últimos dois anos tem sido esta (cujo o nome nunca me dei verdadeiramente ao trabalho de saber), algures na Quarteira, Algarve.

As amantes do verão: o que mais gosto de comer no verão



No verão é tradição na família juntarmo-nos todos e fazer um bom "churrasco" quinzenalmente, portanto o que mais me faz crescer água na boca, nesta altura do ano será sempre: barrigas, espetadas, salsichas, febras e o melão....




13.6.12

As amantes do verão: as noites de verão



...em boa companhia, sempre...com a família, com os amigos, com uma boa série ou um bom livro/filme...


11.6.12

As amantes do verão: as tardes de verão

...enquanto a família não chega para acalmar as saudades, os amigos não entram de férias, e os dias de praia estão ainda longe...as minhas tardes nos últimos e nos próximos dias foram/serão passadas assim...a ler todos os livros que a falta de tempo desde do último verão não deixou ler antes!


"(...) e uma mente necessita de livros da mesma forma que uma espada necessita de uma pedra de amolar se quisermos que se mantenha afiada (...)"
George R. R. Martin
in As crónicas de Gelo e Fogo - A Guerra dos Tronos

fonte da imagem: http://iloveyouforevercurly.tumblr.com/

As amantes do verão: as amanhãs de verão


Verão para mim é sinónimo de férias, da desobrigação de cumprir horários (quer seja na hora de deitar ou de acordar)...assim a maioria das minhas manhãs de verão é passada assim: a dormir até tarde!


 "Às vezes é preciso dormir, dormir muito. Não pra fugir, mas pra descansar a alma dos sentimentos. Quem nasceu com a sensibilidade exacerbada sabe quão difícil é engolir a vida. Porque tudo, absolutamente tudo devora a gente. Inteira."
Marla de Queiroz

fonte da imagem: http://foreveryoung25.blogspot.pt/

 

9.6.12

As amantes do verão: o meu cabelo de verão

No verão o meu cabelo anda  sempre ao natural (sou demasiado preguiçosa para lhe fazer o que quer que seja) e quase sempre apanhado (pois solto faz-me muito calor no pescoço e incomodamente verdadeiramente) e apesar de ser aceitavelmente liso nas restantes estações do ano, nesta em particular, é bastante ondulado, quer esteja molhado ou seco, chegando ao ponto de formar caracóis largos em contacto prolongado com os "ares da praia" e a água salgada...

...era só isto

Passe o tempo que passar, caia as vezes que cair e mentalmente tente "interiorizar" sempre a mesma lição, uma e outra vez...em certos aspectos da minha vida e no que a certas pessoas diz respeito...dou por mim a cair em velhos hábitos, a repetir os mesmos erros, a percorrer os mesmos caminhos...caminhos que terminam sempre na mesma encruzilhada: mudar e cortar definitivamente o cordão umbilical (aceitando e aprendendo a lidar com todos os "ses", receios e dúvidas) ou seguir sendo como sou, respirar fundo e manter-me fiel a mim mesma e aos valores em que acredito, tentando diariamente provar que elas é que estão erradas (apesar do número de dissabores que tal me traga)...


"Pelo o que me diz respeito
Eu sou feita de dúvidas
O que é torto, o que é direito
Diante da vida
O que é tido como certo, duvido
E não minto pra mim
Vou montada no meu medo
E mesmo que eu caia
Sou cobaia de mim mesma
No amor e na raiva
Vira e mexe me complico
Reciclo, tô farta, tô forte, tô viva
E só morro no fim
E pra quem anda nos trilhos cuidado com o trem
Eu por mim já descarrilho
E não atendo a ninguém
Só me rendo pelo brilho de quem vai fundo
E mergulha com tudo
Pra dentro de si
Lá do alto do telhado pula quem quiser
Só o gato que é gaiato
Cai de pé..."
Martha Medeiros

8.6.12

As amantes do verão: festas, arraiais e festivais de verão

(marchas de S. João nas ruas de Vila Real)

O verão é a época de excelência das festas populares pelos meus lados,  quer sejam as festas da cidade durante este mês (que celebram como não poderia deixar de ser os Santos Populares, ou não fosse S. António, o padroeiro da cidade) ou qualquer uma das festas de verão que ocorrem em cada uma das freguesias que compõem o conselho de Vila Real.
Assim o meu verão é passado um pouco em cada uma destas festas, nas barraquinhas e "carrocéis" do S. António, num convívio de S. João (dividido entre os festejos na cidade e o "saltar da fogueira de belas luzes" na minha aldeia), ou na procura dos "pucarinhos" feitos com o barro de Bisalhães, na feira de S. Pedro, perfeitos para oferecer à mãe.
Contudo a minha festa de eleição não poderia ser outra que não a da minha aldeia, celebrada em Agosto, com duração de quatro dias e em honra do Sr. dos Emigrantes, é a altura em que as ruas ganham mais vida, os filhos da terra regressam para umas merecidas férias, as famílias finalmente têm oportunidade de "matar saudades" e os amigos de infância têm oportunidade de pôr a conversa em dia.
Ora tendo eu uma família alargada tão grande, dispersa um pouco por todo o Portugal e o mundo, está fácil de ver o porquê desta minha eleição!
Em suma verão para mim, não seria verão se não pudesse fazer parte destas festividades (mesmo que devido à crise estas tendam a ser de ano para ano cada vez mais restritas)...

"Uma vida sem festas é como um largo caminho sem pousadas."
Demócrito



7.6.12

As amantes do verão: A minha bebida preferida no verão


A minha bebida preferida no verão ou em qualquer outra estação do ano será sempre a àgua, a única capaz de verdadeiramente saciar a minha sede!


fonte da imagem: http://1.bp.blogspot.com/

6.6.12

As amantes do verão: o meu calçado de verão

No verão ando basicamente de havaianas, mas não dispenso as minhas sandálias de cunha, quando o assunto é uma saída... 

fonte da imagem: H&M

Reticências

Quando quiseres perder dois minutos do tempo e realmente prestares atenção no que eu digo/escrevo, percebes que em cada silêncio repentino/diminuição da escala do tom de voz ou em qualquer uma das reticências que eu gosto tanto de usar, está tudo aquilo que não queres ou não estás pronto/a para ouvir...



"Três pontos tão usados
Por seres envergonhados
Ou talvez mais ousados
De sentimentos inacabados
Frases sem fim, sem ponto final
As reticências, mantêm o assunto em aberto
Com um final incerto (...)"
desconheço a autoria






5.6.12

As amantes do verão: um segredo de verão


Tema difícil (sobretudo porque acredito que a minha vida não terá nada assim tão empolgante que possa partilhar) e depois de dias à volta do assunto, fico-me pela primeira coisa que me veio à cabeça: foi uma noite de verão que me apaixonei verdadeiramente pela primeira vez...

4.6.12

selos e mais selos parte II

Ora portanto, pondo em dia os selinhos que tão gentilmente me ofereceram e que eu tenho em atraso, aqui ficam mais alguns:



Oferecido pela menina Márcia, do blog Pensamentos e Experiências (obrigada querida!)

Este selo vem acompanhado de 4 regras que os destinatários devem cumprir, caso aceitem o selo.
1. Escolher 5/6 blogs recentes com menos de 200 seguidores para atribuir este selo;
2. Mostrar o agradecimento a quem atribuiu o selo fazendo um link para o seu blog;
3. Colocar o selo no blog. Listar os bloggers a quem se atribui o prémio com os seus links. Deixar comentário nos seus blogues para que tenham conhecimento do selo;
4. Partilhar 5 factos aleatórios acerca da nossa pessoa que as pessoas não sabem ainda.

*tenho 22 anos;
*sou viciada em séries;
*tenho 4 cicatrizes;
*a minha cor preferida é o branco, mas raramente a uso na roupa que visto;
* ando sempre com um livro na mala para ler;

Os  dois próximos selos foram oferecidos uma vez mais pela Paula do Blog Suspiros de um amanhecer (e que por esta altura já desistiu de mos oferecer...=P tamanho é o tempo que eu demoro a partilha-los)


1. Dizer 7 factos sobre ti (dos quais 3 são mentira);
*Não sei nadar;
*Já tive um acidente de automóvel;
* Sempre soube que queria ir para a universidade e tirar o curso no qual me licenciei;
*Quando era pequena queria ser arqueóloga;
*Falo fluentemente inglês;
* Tenho olhos verdes;
*Não sei andar de bicicleta;



2. Desafiar os seguidores a descobrir quais os 3 que são falsos;
3. Fazer um post a denunciar as tuas mentirinhas uns dias depois;
4. Passar o desafio, bem como o selo, a 5 seguidores que consideres merecedores, e a quem queiras agradecer o carinho que têm tido contigo;







As regras deste selinho são as seguintes:
- Dizer quem criou o selo e linkar o seu nome - http://blog--katy.blogspot.pt/
- Dizer quem ofereceu e linkar o nome:
- Responder às perguntas que se seguem.

1- Diz qual o teu clube - Futebol Clube Do Porto
2- Qual é o teu maior sonho? Ser feliz e ter saúde para aproveitar a mesma
3 - Qual é o teu animal favorito - Tigre Branco da Sibéria
4 - O que mais te irrita? Falsidade, cinismo ou falta de pontualidade
5- Que tipo de filme preferes? Comédia
6 - Qual a rede social que mais gostas? Facebook
7 - Quais as palavras que estás sempre a repetir: Tipo
8 - Diz um desporto que adores: voleibol
9 - Se pudesses pedir um desejo ao génio da lâmpada, qual seria?
10 - Qual é o teu nome: Ana Sofia





(selo gentilmente oferecido pela Margarida, do blog Exílio do (in)consciente e que apenas me pede para ser feliz, o que tento pôr em prática diáriamente)

....prometo que é a última vez que ofereço os selos a quem quiser levar, mas é mesmo apenas porque por esta altura todos os blogs a quem queria/gostaria de oferecer já o têm...=P

As amantes do verão: o que não gosto no verão...

...do calor, quando este é em demasia, quando não me deixa dormir à noite, quando nenhuma sombra o consegue aplacar e de nenhuma maneira me consigo sentir bem.

3.6.12

As amantes do verão: o que não pode faltar no meu verão...


No verão não dispenso as saídas com os amigos seja:
* para um simples café algures numa esplanada;
*um passeio pelas barraquinhas de S. António/S. Pedro;
*um dia à beira rio;
*um bailarico de verão;
* simplesmente para colocar a conversa em dia
*...
Porque o tempo escasseia durante o resto do ano e os nossos encontros/saídas são raro(a)s, há que aproveitar as férias de verão.


"O importante não é ser importante, mas sim dar importância para aqueles que se importam com você."
-desconheço a autoria-

Eu e o amor

Para mim, o amor é a base de qualquer relação,seja ela romântica ou não, variando apenas no tipo, na intensidade e na forma como é demonstrado.
Amor no seu estado mais puro e básico é amizade: por aquela pessoa cuja a sua presença na minha vida, tanto acrescenta à mesma, é o que faz o meu coração vibrar com cada vitória conquistada pelas pessoas que me rodeiam e com elas querer partilhar o meu dia-a-dia, com todos os meus sucessos e fracassos.
Amor é o que me coloca um sorriso estampado na cara quando sei que vou estar na companhia de determinada pessoa, é o que faz o meu coração bater mais depressa ou o que forma um nó no meu estômago e não deixa comida nenhuma lá permanecer...
Amor são momentos, músicas e pequenos nadas, é o abraço apertado no momento certo, uma conversa no silêncio de uma troca de olhares, a cumplicidade adquirida numa vida a dois...
Amor é a motivação que me faz querer ser sempre mais e melhor.
Amor, na sua maior grandeza é para mim, sob o  efeito máximo de  meu romantismo crónico: abrir mão da minha felicidade junto de alguém, quando a felicidade do mesmo não passa pela minha presença na sua vida, é desapegar e partir, (tentar) seguir em frente quando todas as células do meu ser gritam para ficar, é ser capaz de sorrir quando sei ou vejo esse alguém feliz e realizado.
Eis o amor que diariamente tento cultivar e pelo qual luto sempre, mesmo quando apenas teoricamente parece possível.


"Se tudo for feito com Amor e ingenuidade;
Se todos se amarem mutuamente;
Se a felicidade for uma Eternidade;
Se a tristeza for mera passagem;
Se a amizade for sincera e de Verdade;
Se a vida for um Dar acima de receber;
Então descobriremos que foi em cada uma desses
momentos que nosso coração bateu mais forte,
e que agimos pura e simplesmente como seres Humanos!"
Vera Costa                   

 *foto retirada daqui: http://quotesfactory.com/category/love/page/2

2.6.12

As amantes do verão: o verão numa cor

A cor do céu durante um pôr-do-sol enquanto aproveito os últimos minutos de praia ou a cor do céu durante o nascer do dia depois de uma noite divertida com os amigos... 

1.6.12

As amantes do verão: o verão da minha infância

Como boa descendente de emigrantes, a escolha para iniciar este desafio não poderia ser outra que não esta, o(s) verão/verões da minha infância foi/foram passado(s) pela Suíça, sobretudo em Zurique onde o meu pai se fixou depois de para lá ter emigrado, contudo a maioria dos fins de semana eram passados entre montanhas, algures numa dessas casas de madeira entre prados verdejantes presentes numa das fotos, exactamente como os postais típicos deste país,  na casa dos meus tios numa cidade chamada Appenzell.
Nos vários anos em que lá passei as minhas férias escolares tive oportunidade de conhecer minimamente bem este país e se na altura ia para lá contrariada, hoje sou completamente apaixonada pela Suíça, desde dos seus inúmeros lagos, jardins ou monumentos até aos campos, às construções típicas das habitações na parte mais rural ou aos gelados com chocolate quente.
Quando penso na minha infância, posso dizer que fui bastante feliz neste país e apesar de por agora não ser possível pretendo um dia lá voltar e "matar saudades" da terra, do cheiro, dos cisnes.
Tenho várias fotos em alguns dos sítios mais emblemáticos contudo  e apesar de ter passado toda a tarde à procura dos álbuns, estes teimam em não aparecer, assim deixo-vos esta montagem (esperando que as fotos estejam correctamente creditadas)...

"Preciso reviver, eu bem sei,
mesmo que só na lembrança,
voltar à minha antiga casa,
rever a minha infância
e todos os momentos felizes que lá passei."
Clarice Pacheco                         

24.5.12

Velho - Mafalda Veiga



De todos os públicos-alvo com que a formação no meu curso (ou deverei dizer antes da minha profissão, agora que estou oficialmente licenciada?) permite lidar, a Terceira Idade seria a minha última opção se me pedissem para escolher, não sei explicar bem o porquê: talvez por não estar habituada a ter que lidar no meu dia-a-dia com idosos ou quem sabe por uma má experiência no meu passado.
Assim quando tive que escolher onde estagiar tal, na minha cabeça nem era uma opção, contudo como a vida gosta de me relembrar constantemente, nem sempre as coisas acontecem como eu quero ou planeio e dei por mim durante três meses e meio a conviver diariamente com este grupo etário.
Apesar de durante três anos ter tido formação (e por vezes tão específica) sobre o que muitas vezes representa "ser-se idoso" hoje em Portugal, e iniciar esta etapa, sabendo supostamente, à partida que tipo de realidades e problemas iria presenciar, nada disso me ajudou a saber lidar com o turbilhão de sentimentos que vivencia-los provocou em mim.
A solidão, o isolamento, a pobreza extrema e sobretudo a indiferença familiar são recorrentes entre os mais velhos que muitas vezes se sentem "perdidos" nesta sociedade que valoriza cada vez mais a juventude e não vê (ou não quer ver) as pessoas que com o seu suor e trabalho contrubuíram para que esta funcione minimamente.
Fui educada a respeitar os mais velhos, a valorizar as suas ideias e opiniões pois seriam mais sábios que eu e talvez seja por isso (ou se calhar até não) que me custa a aceitar que uma pessoa cada vez mais tenha um prazo de validade, seja constantemente ignorada pela sociedade mas principalmente pela família pois há muito que me oriento por esta pergunta (para mim tão elementar): se é a minha família que me apoia e guia até eu sentir a coragem suficiente para "voar sozinha", não deverei eu, tentar retribuir minimamente quando ela de mim mais precisar?
No fim do estágio dei por mim a olhar para o idoso anónimo que comigo se cruza em qualquer rua perdida de outra forma, com mais respeito, com mais carinho e sobretudo com mais atenção.
 Hoje posso dizer que o meu estágio permitiu, mais do que uma oportunidade para praticar o que anteriormente aprendi, permitiu-me crescer enquanto pessoa, rever os meus valores e as minhas escolhas, recordar a filha que sou e pretendo ser, lembrar-me que num futuro não tão distante serei eu a ocupar aqueles bancos e a contar histórias.
Hoje deram-me a conhecer esta música e o objectivo deste post seria apenas partilha-la (já que traduz tão bem a actualidade) e pedir-vos que reflictam sobre o assunto, mas dei por mim perdida em reflexões (se calhar não muito claras) sobre a minha opinião neste assunto.


"Qual seria a sua idade se  você não soubesse, quantos anos você tem?"
Confúcio

22.5.12

Porquê que a ausência reina por aqui...

Neste cantinho reina uma ausência que facilmente se traduz numa tristeza sem nome ou rosto, sem motivo aparente ou razão de existir.
Por aqui reina o silêncio, quando pouco ou nada útil se tem para dizer...as palavras fogem de mão dada com a inspiração.
Apetece-me fechar os olhos e dormir, dormir durante horas ou dias, dormir até que a vontade volte a fazer-me companhia, até que os dias não me pareçam todos iguais, até que este desânimo que se instalou ultimamente em mim passe...

"Ouça um bom conselho
que eu lhe dou de graça
inútil dormir
que a dor não passa"
Chico Buarque




Selos e mais selos (parte 1)

A Paula, do Blog Suspiros de um amanhecer, que adora mimar-me ofereceu-me mais dois selinhos, que eu depois de muito empatar decidi agora partilhar/repassar.
Assim sendo:







Regras:

Criar um post e responder às questões de quem te deu a TAG;
Criar 11 novas perguntas diferentes para passar;
Escolher 11 blogs para dar a TAG e colocar o link delas no post;
Avisar os 11 blogs que foram escolhidos.


As perguntas da Paula:

Um sonho que nunca esqueceste? Todos aqueles em que pessoas que eu conhecia/gostava morriam(durante a minha adolescência eram frequentes)

Qual a tua refeição favorita? Arroz de Atum

E sobremesa? Mousse ou bolo de chocolate

Tens animais de estimação? Se sim quais? sim, um cão

O melhor momento da tua vida? Só um? O que anda mais presente  na mente, ultimamente: a minha queima

Gostas de dançar? Se sim que tipo de dança? Não muito, não tenho jeito nenhum!

A tua flor favorita? Orquídia

As melhores férias? Sanxenxo

Praticas algum desporto? Se sim qual? Não (as minhas caminhadas contam?)

Já tiveste alguma alcunha? Se sim qual? Ui tantas!! Anita, Anocas, menina social (devido ao meu curso), menina dos abracinhos....

O que mudavas em ti? O meu pessimismo e/ou a ansiedade


As minhas perguntas:

1. É sempre bom receber…
2. A minha flor preferida é…
3. Um dia perfeito seria…
4. Se pudesse ter escolhido, o meu nome seria…
5. Os 3 objectos que melhor te definem são…
6. Uma prenda inesquecível…
7. Se alguém te concedesse a possibilidade de escolher um super poder seria…
8. Um desejo…
9. Criei o meu blog porque…
10. Se pudesse, mudaria em mim…
11. Eu em três palavras…







Para além da Paula, a Márcia, do blog Pensamentos e experiências também me quis brindar com este selinho, cuja as regras são:


"1. Tenho que escolher 5 blogs com menos de 200 seguidores para oferecer o selo;
2. Mostrar o agradecimento fazendo um link para o blog que atribuiu o mimo;
3. Colocar o selo no meu blog e listar os escolhidos com os seus links, deixando comentários para que tomem conhecimento do desafio e do selo;
4. Partilhar 5 fatos aleatórios acerca de mim que as pessoas ainda não saibam."
 
Cinco factos sobre mim:
* Sou uma indecisa crónica
* Adoro fazer sessões caseiras de cinema para a pequenada da família
* Prefiro ir a qualquer lado a pé do que de carro/autocarro, se tal se tornar viável
* Adoro perder-me pelas estantes de uma biblioteca, a ver/escolher livros
* Tenho um sentido de humor, digamos peculiar

Eu sei que sou uma desnaturada mal-agradecida por ter tantos selos em atraso mas sou complicada e nunca consigo cumprir as regras todas direitinho e vou adiando, adiando...assim decidi "pagar as minhas dívidas" mesmo que não cumprindo as regras por isso sintam-se à vontade de levar ou de deixar num comentário as respostas às perguntas que coloco ;)

(Só me ficam a faltar três, que publicarei até ao fim da semana)

15.5.12

O melhor de finalmente ter aprendido a manter as expectativas baixas em relação a ti é conseguir aproveitar os momentos "inesperados" que por vezes me proporcionas...
Não sei se tomo (diariamente) a decisão mais acertada, não sei se é o facto de sermos tão parecidos que nos distancia cada vez mais, e se ao procurarmos um caminho comum que novamente nos reúna tomamos as decisões e atitudes mais erradas....
Não te guardo rancor (aliás acho que seria impossível) mas esta singularidade minha de perdoar mas não esquecer impede de deixar completamente de lado todas as desilusões pelas coisas me fizeste/fazes passar, o orgulho não me deixa fazer-te saber o quanto de ti preciso na minha vida e a falta que me fazes ( acho que há muito que já o devias saber!)...
Sei que nem sempre facilito, não ligo nos teus anos ou em qualquer outro dos dias que para ti são especiais, mas a verdade é que foste tu que primeiro, o deixou de fazer. Sou fria e distante quando me procuras, mas não consigo agir de outra maneira quando só pareces lembrares-te da minha existência quinze dias por ano.
Custa-me não te ter aqui nos momentos mais importantes da minha vida (e sobretudo saber que tu deles, nem fazes ideia) e dói falar de ti e ter que explicar como estou magoada ou ouvir que desdenho de algo que muita gente dava tudo para (voltar a) ter.
Cada história tem dois lados e anseio pelo dia em que finalmente ganhes coragem e me contes a tua interpretação da nossa...




"Quando a gente conhece uma pessoa, construímos uma imagem dela. Esta imagem tem a ver com o que ela é de verdade, tem a ver com as nossas expectativas e tem muito a ver com o que ela "vende" de si mesma. É pelo resultado disso tudo que nos apaixonamos. Se esta pessoa for bem parecida com a imagem que projetou em nós, desfazer-se deste amor, mais tarde, não será tão penoso. Restará a saudade, talvez uma pequena mágoa, mas nada que resista por muito tempo. No final, sobreviverão as boas lembranças. Mas se esta pessoa "inventou" um personagem e você caiu na arapuca, aí, somado à dor da separação, virá um processo mais lento e sofrido: a de desconstrução daquela pessoa que você achou que era real."


Martha Medeiros

*foto retirada daqui: http://weheartit.com/entry/20437784/via/yumxo

13.5.12

"este não sei quê"

Conseguisse eu explicar decentemente em palavras o meu estado de espírito dos últimos dias e talvez recebesse esse "não sei quê" que tanto anseio!
Durante esta semana mais um capítulo bastante importante da minha vida chegou ao fim e as lágrimas que teimaram em se fazerem presentes eram sinal, mais do que frustração ou sentimento de missão cumprida (como a maioria achou), de receio...
Receio deste futuro incerto que me espera, de pela primeira vez em anos não ter nada de concreto planeado, de perder aquele grupinho de pessoas que nestes últimos anos o seu dia-a-dia  comigo partilharam e que com a sua amizade me brindaram.
Esta semana não houve despedidas, apenas "até já's" que me deixaram um aperto no peito...o tempo se até agora era sempre pouco, será daqui para a frente inevitavelmente cada vez menor!
Assim, entre uma e outra conversa fiz questão de memorizar cada um dos rostos, cada um dos sorrisos, distribuir abraços apertados e sentidos e beijos bem repenicados...
A vontade de gritar o quanto gosto nunca foi tão grande, mas a necessidade de a minha falta ser sentida e a minha amizade valorizada é ainda maior...
No fim cada um de nós partiu rumo à sua nova vida, mas nem por isso o meu coração deixou de se sentir apertadinho, inundado em ternura e saudade...



p.s. O pior é que "este não sei quê" teima em se alargar até às minhas amizades mais antigas e dou por mim a sentir uma grande falta...de pessoas e momentos! Vá lá alguém entender-me?!

12.5.12




Voltei! Não planeei ficar ausente por tanto tempo, mas o meu pc lembrou-se de "desfalecer" e apenas voltar a dar sinais de vida agora...prometo pôr brevemente a minha leitura em dia nos cantinhos onde tanto gosto de me perder!

23.4.12

Os meus pequenos nadas: ler

Poucas são as coisas que me dão tanto prazer como a leitura, sou capaz de passar horas absorta no enredo de um bom livro, como tal "devoro" livros a uma velocidade impressionante (o caso é de tal forma "grave" que a minha mãe reclama sempre que alguém me oferece um ou me vê chegar a casa com algum).
Como em quase todos os restantes campos da minha vida, também neste não sou muito selectiva, leio de todo um pouco desde dos chiclés românticos até aqueles que exigem a minha total atenção e empenho na sua interpretação e são poucos os livros que ao virar a última página não me tenham deixado um gostinho de "quero mais"!
Leio um livro, porque a capa me chamou a atenção, porque a sinopse me cativou, porque me foi recomendado ou simplesmente porque o autor me intriga.
A minha biblioteca pessoal é bastante reduzida sendo composta sobretudo por livros oferecidos e assim permanecerá enquanto não for dona e senhora da minha liquidez financeira, contudo sou visitante assídua da Biblioteca Municipal. Adoro vaguear por entre estantes, retirar livros, ler sinopses, trazer uns quantos para casa e embarcar numa nova viagem.
Gosto de ser surpreendida pela história e conquistada pelas personagens, mergulhar na "vida" de outras pessoas e por instantes anestesiar a minha.
Assim não poderia deixar de recomendar um dos livros que ultimamente me cativou...
A árvore dos segredos de Santa Montefiore: comecei a lê-lo procurando algo leve que satisfizesse por um lado a minha necessidade de ler algo que não estivesse associado às palavras relatório e estágio e por outro que acalmasse o meu lado romântico e piroso com uma história de " príncipes e princesas e com o seu final feliz".
Mas é muito mais! Engloba em si todo o que procuro quando leio, fez-me sonhar, fez-me aprender, fez-me reflectir!
Apesar de ser um romance não é nada típico, as personagens poderiam bem ser pessoas do nosso dia-a-dia, cheias de defeitos e qualidades e apesar de no início me recusar a aceitar o rumo que a história parecia querer tomar, dei por mim no final não só a torcer por esse rumo como a encontrar uma profundidade no enredo que não esperava, sendo precisamente esse facto que me faz aceitar o final (por muito que na minha cabeça teime em acreditar que a autora eliminou um capítulo inteiro com o verdadeiro final!), além de é claro ter ficado com uma vontade enorme em conhecer a Argentina.


"Os livros são o abençoado clorofórmio do espírito."
Robert Chambers



Imagem retirada de: http://weheartit.com/
p.s. Não gosto que me contem o que vai acontecer naquilo que vou ler/ver portanto tentei restringir a minha opinião ao máximo, mas se ainda não estiverem intrigados e quiserem ler um comentário que vos convença definitivamente podem faze-lo aqui e aqui.

19.4.12

Ser tua irmã...

"Ser tua irmã...é ter o coração sempre apertado, de saudade, de receio, de amor."*


*...e neste momento de preocupação!

17.4.12

Eu e os pecados capitais

Se eu fosse um dos sete pecados capitais (Gula, Avareza, Luxúria, Ira, Inveja, Preguiça e Orgulho/Vaidade) teria que ser sem dúvida alguma a Preguiça, apesar de o orgulho e a avareza estarem também demarcados na minha personalidade (bem mais do que gostaria confesso) nas coisas mais simples como: raramente pedir favores a quem quer que seja (sobretudo se anteriormente essa pessoa me tiver mostrado má vontade), sair uma paragem de autocarro mais cedo e fazer o resto do caminho a pé para poupar 25 cêntimos ou só fazer compras mesmo quando extremamente necessário.
Nenhum outro pecado me descreve tão bem como a preguiça. É por pura preguiça que não pratico qualquer exercício físico, que não me levanto cinco minutos todas as manhãs mais cedo, para me "aperaltar" como a maioria das minhas amigas ou aliás fazer qualquer coisa que não seja extremamente necessário ou importante e que implique ter que me levantar mais cedo. Adoro dormir e passar um dia inteiro sem fazer absolutamente nada que se possa considerar produtivo para a sociedade é um dos meus maiores defeitos. 
A preguiça sempre fez parte do que sou (desconfio seriamente ser ela o motivo de quando era pequena "comer" metade das letras quando escrevia), contudo à medida que fui crescendo acho que ela foi diminuindo até atingir um nível minimamente aceitável. 


"Vencer a preguiça é a primeira coisa que o homem deve procurar, se quiser ser dono do seu destino."
Thomas Wittlam Atkinson

Imagem retirada do site: http://www.tirinhasmemes.net/t/preguica


12.4.12

Carta ao meu Eu passado

"Olá, eu sou o teu futuro "eu" e se estás a ler isto é porque num futuro bastante próximo finalmente descobriram alguma maneira de viajar no tempo e  a tornaram-na acessível a pessoas sem contas bancárias recheadas, como é o caso.
Apesar de sempre ter conseguido tirar algum proveito nas asneiras que vais fazer e conviver perfeitamente bem com as consequências das mesmas aqui ficam algumas dicas de coisas a evitar por serem completamente desnecessárias à tua felicidade actual (ou futura):

* Pede mais coisas ao teu pai, não sejas tão "adulta" aos dez anos de idade, os motivos que te levam a não pedir nunca se concretizarão;
* Aliás aproveita a tua infância livre de preocupações e responsabilidades, caso contrário vais querer te-la vivido mais intensamente;
* Nunca sob circunstância alguma contes à D. por quem estás apaixonada (mesmo quando já não estiveres), ela não vai achar problema nenhum contar-lhe e tu vais passar uma vergonha enorme em frente à turma toda;
* Sabes a J.? A sua amizade não vale o teu esforço;
* Não deixes que a tua prima te convença a tirar fotos à beira mar e ainda por cima com a tua máquina, ela nunca mais funcionará depois de uma onda vos molhar;
* Não deixes de tirar fotografias naquelas saídas de amigos, apenas porque estás farta do facto de seres tu a levar a máquina se ter tornado um dado adquirido para os restantes, vais sentir falta dessas fotos;
* Não faças birra por ninharias, principalmente junto daqueles que nada (ou muito pouco) tiveram a ver com elas;
* Coloca o protector solar antes de sair de casa e não apenas na praia;
* Vai a Lloret, o dinheiro que vais gastar será menos e mais bem aproveitado do que na tua tentativa de tirares a carta;
* Não comentes com ninguém que tens um blog, ele vai descobri-lo e vais deixar de poder escrever o que realmente queres/precisas;
* Esquece essa mania irracional que as pessoas não vais gostar de ler os teus comentários e começa a comentar os blogs que segues diariamente;
* Não peças ao G. para te guardar o porta moedas, ele vai perde-lo e juntamente com ele todo o dinheiro que lá tinhas;
* Recusa-te a ter uma "conversa séria" com alguém quando estás bêbeda, por muito que insistam e penses que essa seja, a única maneira de as coisas ficarem resolvidas, não ficam, vais fazer figura de idiota e vais ser incapaz de te lembrares das palavras exactas quando as tiveres que recordar um dia mais tarde;
* Não uses a ironia ou o sentido de humor como mecanismos de defesa quando o assunto é uma possível doença grave, os teus amigos não vão perceber;
* Aproveita BEM a tua vida académica, vai deixar mais saudades do que imaginas;
* Não peças ao Prof. que te deu um 17 para ver a correcção da frequência baseado no facto de ter havido 19's e achares que te tinha corrido melhor, ele vai ficar "ofendido" e nunca mais te vai dar outra nota que não seja 15;
* Não lhe mandes os teus textos, no fundo ele não os quer mesmo ler;
* Guarda as fotografias do teu último ano de secundário num cd, o teu novo pc vai ser formatado "n" vezes e vais acabar por as perder;
* Por falar em secundário...começa a fazer voluntariado mesmo que percas as tardes livres;
* Não beijes ninguém apenas porque parece valorizar-te quando quem querias que o fizesse não o faz, no dia seguinte, depois de 30 mensagens recebidas não vais achar que foi uma boa ideia;

Pronto, acho que era só isto, aconselho-te a leres esta carta até a teres decorado...vais-me poupar muitas lágrimas!
Beijinho"


A ideia deste post foi completamente "roubada" ao Ricardo, do blog Bla Bla...Blog? que após ter escrito uma carta ao seu eu passado desafiou os seus seguidores a fazer o mesmo.

"novo" desafio

Como vais vale tarde do que nunca....cumpro agora um desafio que a querida Turista do blog Turista Acidental me colocou há algum tempo atrás, ora sendo este um desafio a que já tinha respondido neste post vou só responder às suas perguntas....

1. Que blogger gostarias de conhecer ao vivo? Acho que não consigo escolher apenas um, principalmente entre aqueles com quem interajo mais seria óptimo associar um rosto a um nome/blog...

2. Se iniciasses agora um blog, como lhe chamarias? Hummm provavelmente manteria o mesmo nome, continua a fazer sentido.

3. No teu blog, escreves tudo o que te apetece? Tudo tudo não, apenas alguma coisa que considere que valha a pena ser lida.

4. A tua família tem conhecimento do teu blog? Sim, aquela que sabe minimamente o que é um blog, mas raramente o visitam.

5. Os teus amigos têm conhecimento do teu blog? Alguns, faz-me (cada vez menos mas ainda) um pouco de confusão saber que eles o leiam, por encarar este meu cantinho como um lugar onde posso desabafar e por vezes falar sobre assuntos que por um motivo ou outro não quero/posso/consigo falar com eles...

6. Por vezes encarnas uma personagem, no teu blog? Em alguns dos meus textos sim...

7. Achas que a blogosfera, reflecte a sociedade actual? Sim

8. Porquê? Sendo ela constituída por um número tão grande e variado de pessoas acho que sim (apesar da minha pouca experiência).

9. Já tiveste contactos para divulgares serviços ou produtos, no teu blog? Não

10. Aceitaste?

11. Já tiveste outro blog? Não era bem um blog (tanto que quando passou a tal privei a conta) tive um espaço no "spaces" do MSN.

10.4.12

09.04.2011

O dia amanheceu ensolarado, ao acordar a ansiedade e expectativa manifestavam-se pesadamente no meu estômago.
Vesti o traje lentamente, alisando rugas inexistentes, endireitando um nó de gravata perfeito, calcei os sapatos finalmente aos meus pés moldados, depois de tanto uso lhe ter sido dado. Observei a imagem com que o espelho me brindava, cada emblema e cada nódoa na capa preta no ombro suportada, cada fita na pasta colocada, tantas histórias e memórias ali eternizadas…
De capa traçada, passei grande parte da cerimónia, sentada perdida em pensamentos, camuflada entre tantas capas pretas que efusivamente, bem alto, abanavam as suas pastas com fitas das mais variadas cores.
Cada música, cada discurso, cada pequena acção invocava em mim memórias e sentimentos diversos e por vezes contraditórios, ora sorrisos e uma felicidade extrema, ora lágrimas de saudade há muito antecipada e receio de um futuro incerto.
Depois das insígnias impostas, era chegado o momento de por fim as fitas pelo fumo passar e esse instante, apesar de na minha memória estar para sempre gravado, não o consigo decentemente descrever. Ali, rodeada de preto e a cor do meu curso, entre uma multidão ensurdecedora de gente, por segundos o barulho, a minha mente bloqueou, enquanto os flash’s dos fotógrafos se certificavam que numa fotografia tal momento poderia ser posteriormente recordado, uma única certeza me invadia: tinha valido a pena!
Apesar de todas as dúvidas e receios, de todos os dissabores e frustrações tinha valido a pena, depois de tantas aulas, trabalhos, frequências e exames, horas de estudo e folhas e folhas de apontamentos…tinha valido a pena, por todos os momentos, por todas as pessoas que nos últimos três anos o seu caminho comigo partilharam, e pelo orgulho e felicidade que no olhar dos meus familiares e amigos eu podia testemunhar…tinha valido a pena!
Um ano passou desde daquele dia, em que rodeada de (quase) todas as pessoas importantes na minha vida as minhas fitas queimei, explicar a importância do mesmo para mim, por muito que escreva talvez nunca seja capaz, mas acredito que tenha sido exactamente naquele dia, em frente aquele pote cheio de fumo que pela primeira vez experimentei uma sensação de felicidade plena…


"Aproveite bem os momentos felizes de uma vida, porque ela é curta de mais para ficar numa simples lembrança!"
 Willy Neval